Warning: time() expects exactly 0 parameters, 1 given in /home/getrak/public_html/wp-content/plugins/rock-convert/inc/frontend/class-frontend.php on line 167

Quanto custa abrir uma empresa? 5 coisas que você precisa saber para abrir a sua

Muitas pessoas têm o desejo de empreender, seja para obter uma renda extra ou para mudar de carreira e alcançar a independência financeira.

Entretanto, alguns receios surgem na hora de decidir que tipo de negócio abrir ou por onde começar. Dentro desse turbilhão de dúvidas, uma das mais frequentes é: quanto custa abrir uma empresa?

Nossa proposta neste post é explicar alguns aspectos relacionados aos custos de investir em um novo negócio. Reunimos aqui uma lista de conhecimentos essenciais que você precisa ter antes de tomar a decisão de empreender. São conhecimentos que o ajudarão a trabalhar com despesas mais baixas e bons índices de retorno. Confira!

1. Avaliar o investimento inicial

Não existe um valor padrão para dar início a um negócio. A quantidade de dinheiro necessária para começar varia em função de uma série de fatores. Você precisa verificar se o tipo de empreendimento desejado cabe no orçamento. Evidentemente, a maioria dos empreendedores iniciantes busca oportunidades com investimentos mais baixos.

Geralmente, os negócios baseados em prestação de serviços exigem menos recursos financeiros para começar e focam mais no capital intelectual, ou seja, na experiência que o profissional possui para executar as tarefas.

Os negócios on-line vêm crescendo como alternativa de baixo custo inicial, pois muitos deles nem precisam de um grande espaço físico para operar.

Independentemente da sua escolha, é importante ter em mente a necessidade de prevenir-se contra dívidas e despesas desnecessárias. 

Para isso, faça uma lista de todos os recursos necessários para começar a operar: equipamentos, móveis, softwares, mercadorias, funcionários e demais despesas, como aluguel, água, eletricidade e internet.

Esse levantamento deve fazer parte do seu plano de negócios, o documento que explica em detalhes como a empresa funcionará e de que maneira pretende gerar lucro. Ele é um elemento essencial para ter uma noção melhor quanto ao investimento e calcular sua viabilidade.

2. Analisar o Mercado

Para encontrar as oportunidades mais atrativas, é interessante estudar o mercado em busca de um segmento promissor.

Em um país subdesenvolvido e em momento de crise econômica, isso é ainda mais relevante. É preciso encontrar um setor menos exposto a instabilidades, que ofereça mais segurança e seja capaz de gerar receitas recorrentes.

Busque opções que tenham relação com áreas do seu interesse ou sobre as quais você tenha algum conhecimento. Muitas pessoas procuram por alternativas que permitam trabalhar em casa. Há modelos de negócio baseados em microfranquias ou tecnologia, por exemplo, que atendem essa necessidade.

Verifique também a existência de concorrentes na região em que pretende atuar. Se já houver outras empresas oferecendo o mesmo produto ou serviço, é importante pensar em métodos para se diferenciar delas. Que tipo de inovação a sua empresa poderá oferecer aos clientes?

3. Lidar com a burocracia

Para reduzir os riscos no início de um negócio próprio, é importante ter algum entendimento básico sobre a parte burocrática, pois ela é responsável por boa parte dos custos de operação. Logo de cara, você deverá lidar com licenças obrigatórias e taxas para registrar o contrato social da empresa na Junta Comercial, por exemplo.

Guia completo: tudo o que você precisa saber sobre o mercado de monitoramento veicularPowered by Rock Convert

Outra coisa extremamente importante que você deve compreender é a diferença entre os regimes tributários, ou seja, o sistema em que sua empresa será enquadrada para cobrança de impostos. Escolher o regime errado pode reduzir os lucros do negócio, fazendo com que você pague mais impostos do que precisaria.

No Brasil, os regimes tributários são:

  • Lucro Real,
  • Lucro Presumido,
  • Simples Nacional;

O mais vantajoso para pequenos empreendimentos é o Simples Nacional, que permite pagar todos os impostos em uma guia única chamada DAS (Documento de Arrecadação Simplificada).

Ela inclui Imposto de Renda, ISS (Imposto Sobre Serviços), ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e outras alíquotas que variam conforme o ramo de atuação.

O Simples Nacional pode ser adotado por microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. Para aqueles que são cadastrados como Microempreendedor Individual (MEI), o teto é de R$ 81 mil anuais. 

4. Cuidar das finanças

Um dos grandes erros dos empreendedores iniciantes é tentar fazer a gestão de forma intuitiva, sem um planejamento financeiro adequado.

Por causa disso, muitos negócios fracassam rapidamente. Tenha consciência de que, no início, as empresas costumam operar no vermelho mesmo. Até que o lucro comece a aparecer, é preciso ser paciente e persistente.

Estabeleça um controle rígido de todas as contas da empresa e jamais misture com gastos pessoais. Aprenda a classificar os custos, dividindo-os entre fixos e variáveis, pois isso ajudará na definição dos preços dos produtos ou serviços que pretende oferecer.

Esteja sempre atento ao capital de giro, que é a quantidade de dinheiro necessária para manter as operações da empresa. Ele é quem vai segurar a barra até que o negócio finalmente comece a dar resultados, evitando a necessidade de empréstimos emergenciais.

5. Montar uma estratégia de marketing

Para atrair clientes, é óbvio que você precisa fazer com que sua marca seja conhecida. Entretanto, a divulgação precisa ser bem planejada para não resultar em desperdício de recursos.

A primeira coisa a descobrir neste tópico é seu público-alvo. Quem sua empresa pretende atender? Onde estão as pessoas ou empresas para as quais você oferecerá seus produtos ou serviços?

Essas informações serão a base para sua estratégia de marketing. Hoje, graças à internet, existem mais possibilidades de chegar aos clientes, mesmo para os negócios que têm orçamentos mais enxutos. Um bom planejamento pode dar origem a um projeto de divulgação eficiente e barato. 

Todos os elementos citados ao longo deste artigo representam custos que devem ser avaliados em detalhes antes da abertura de uma empresa.

A jornada para fazer com que um negócio dê certo é longa e repleta de desafios, mas uma das características do perfil empreendedor é entender que o processo de aprendizado é infinito. Portanto, não tenha medo de encarar o desconhecido.

E aí, gostou deste post? Então, agora que você sabe um pouco mais sobre quanto custa abrir uma empresa, aproveite para seguir nossos perfis oficiais no LinkedIn e no YouTube. Você receberá uma série de conteúdos preparados especialmente para ajudá-lo a obter sucesso com um negócio próprio!

Powered by Rock Convert

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação