Como funciona a indústria do mercado de segurança veicular?

A indústria do mercado de segurança veicular está em franca expansão no Brasil. Os consumidores estão cada vez mais atentos a esse fator, que tem sido decisivo na hora da compra.

A popularização das tecnologias de segurança tornou esse quesito indispensável para os clientes na hora da compra de um carro zero quilômetro. Um dos itens avaliados pelo cliente, por exemplo, é o número de airbags disponíveis no veículo para a segurança dos ocupantes.

Diante de um cenário caótico nas cidades, os números relacionados aos acidentes de trânsito causam preocupação nos motoristas, que se empenham na busca por mais segurança. Se você quer saber um pouco mais sobre essa indústria, confira alguns detalhes sobre seu funcionamento, o mercado e as tendências para o futuro.

Os equipamentos obrigatórios

Alguns equipamentos passaram a ser obrigatórios nos veículos na tentativa de diminuir as estatísticas com relação ao número de mortes no trânsito. A utilização do cinto de segurança para todos os ocupantes do veículo passou a ser lei há cerca de duas décadas.

Agora, a regulamentação fica por conta dos airbags e freios ABS, que são essenciais para melhorar as condições de segurança e evitar o aumento desses números.

Airbags

Esse sistema consiste em um colchão de ar acoplado ao volante, que no momento de uma colisão é acionado por meio de sensores para proteger a cabeça do motorista. Com o auxílio do cinto de segurança, o airbag diminui as chances da vítima sofrer lesões mais graves no tórax e na cabeça.

Atualmente, os veículos vendidos no Brasil precisam ter pelo menos 1 airbag frontal, mas os clientes estão buscando carros que tenham airbag duplo como item de série, a fim de garantir mais segurança aos ocupantes da parte dianteira do veículo.

Freio ABS

Esse sistema de frenagem evita o travamento das rodas ao ser acionado. Quando os freios funcionam de forma eficiente, a probabilidade de evitar um acidente é muito maior. Em caso de chuva, o ABS ajuda a prevenir que o motorista perca o controle da direção durante a frenagem.

Mesmo com a utilização obrigatória desses 2 itens de segurança, o Brasil ainda não se apresenta tão eficiente no quesito proteção. Outros itens como barra de proteção lateral e sistema isofix, para instalação correta da cadeirinha do bebê, são considerados essenciais para a segurança.

Os testes de colisão

Diante dos avanços tecnológicos na área da segurança veicular, para a homologação dos novos sistemas desenvolvidos para proteção dos ocupantes é preciso que o carro passe por uma série de testes que comprovem a eficácia do funcionamento.

Todos os automóveis produzidos nacionalmente precisam ter airbags frontais, freios ABS e passar pela aprovação do teste de batida frontal. No entanto, esses resultados não trazem ao Brasil uma referência de aplicabilidade da segurança.

Como o país não tem uma lei que regulamente e fiscalize os veículos, os testes apenas servem como base para a decisão de compra do cliente. Mas eles não inviabilizam que o carro seja vendido — mesmo que não oferecendo a proteção e segurança adequadas aos ocupantes.

Por isso, se algo acontecer de errado, a responsabilidade recai sobre a montadora, que deve pagar pelo risco imposto ao seu consumidor, sem que os órgãos de trânsito tenham alguma parcela de envolvimento nessa falha de fiscalização e conduta.

A necessidade do recall

O recall é o reconhecimento público da montadora quanto a uma peça com problemas ou uma falha que esteja causando riscos aos ocupantes do veículo.

Por isso, a empresa convida todos os proprietários dos carros da marca e do modelo do lote ou da série que foram acometidos pela falha a retornem até a concessionária ou oficina autorizada para passar pelo reparo necessário, na tentativa de evitar acidentes.

Guia completo: tudo o que você precisa saber sobre o mercado de monitoramento veicular

Ao proprietário do veículo, é aconselhável que faça o recall solicitado para evitar transtornos futuros, mas nem com esse reconhecimento a montadora fica livre de responder pelos possíveis acidentes causados pela falha.

A indústria do mercado de segurança veicular no Brasil

São crescentes as exigências do mercado automotivo com relação à segurança. Por isso, os clientes estão buscando veículos que proporcionem mais conforto e confiança na hora da direção.

Para atender às necessidades dos clientes, estão sendo desenvolvidas novas tecnologias de proteção. Essas tecnologias buscam melhorar a qualidade dos cintos de segurança para todos os ocupantes do veículo, a fixação correta para cadeirinha de bebê e até o auxílio para transporte de animais.

A conectividade também tem sido uma grande aliada na segurança veicular, por isso estão sendo desenvolvidos modernos sistemas de interatividade entre o veículo e o motorista, sem que seja preciso tirar a mão do volante para realizar as ações, por exemplo.

As tendências para o futuro

As expectativas para esse mercado são positivas. No Brasil, espera-se que os negócios relacionados à indústria de segurança cresçam pelo menos 10% ao longo dos próximos anos.

As montadoras trabalham não somente para proporcionar aos ocupantes do veículo mais segurança e conforto, mas para produzir automóveis que sejam mais sustentáveis e tragam benefícios para o meio ambiente.

Carro conectado

O que se espera dos automóveis para os próximos anos é que eles sejam cada vez mais conectados com os motoristas. O proprietário poderá ter ao alcance de sua mão informações relativas ao veículo e aos seus controles, como velocidade no trajeto, odômetro, freadas realizadas e a localização.

Essa tecnologia pode estar inserida nos opcionais de fábrica do veículo ou até mesmo por meio das empresas de rastreamento, que visam facilitar a rotina do proprietário. 

Redução de CO2 na atmosfera

Uma das tendências para os próximos anos é o aumento da frota de veículos movidos a energia limpa. Os carros híbridos e elétricos são uma realidade cada vez mais tangível, pois geram economia para o bolso do motorista e são 100% não poluentes.

Como a meta dos governos é diminuir a quantidade de CO2 expelida na atmosfera, os incentivos para a utilização dos veículos com energia limpa é uma realidade. No quesito segurança veicular, esses carros são dotados das mais avançadas tecnologias e oferecem um excelente sistema de segurança como item de série.

Tecnologias de chassi

O chassi é considerado o sistema mais complexo de um carro, além de ser um dos itens responsáveis pela segurança e pelo conforto dos passageiros. Os avanços tecnológicos têm agregado mais integração a esse sistema, gerando mais autonomia e proporcionando mais segurança.

Entre as novidades estão o controle de amortecimento contínuo, que diminui o balanço do veículo e deixa a direção ainda mais suave.

O controle integrado do chassi também permite que, por meio do sistema de direção elétrica, os eixos dianteiro e traseiro se interliguem, fazendo com que o veículo responda melhor aos comandos, principalmente nas curvas.

Os consumidores estão em busca de veículos que sejam eficientes energeticamente, mas que na mesma proporção garantam mais segurança para os ocupantes. Por esse motivo, a indústria da segurança veicular tem um imenso campo de expansão a ser percorrido, e promete oferecer mais proteção e eficiência aos consumidores nos próximos anos.

Gostou deste artigo sobre a indústria do mercado de segurança veicular? Então aproveite a visita ao nosso blog para ler este post e saber por que você deve investir em um rastreador para carros!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"