Conheça 7 cidades com maior número de roubo de veículos

Um dos grandes desafios de quem tem carro é proteger o patrimônio, principalmente nas cidades com maior número de roubo de veículos. E as estatísticas divulgadas somente expõem essa realidade. No Brasil, um automóvel é roubado ou furtado a cada minuto, segundo com as informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. No total, entre 2015 e 2016, o país somou mais de 1 milhão de casos e, em algumas regiões, os dados são mais alarmantes.

Como consequência, é cada vez maior a procura por soluções de rastreamento veicular, serviço que utiliza a tecnologia em prol da segurança patrimonial. Além disso, é importante manter-se informado sobre quais locais têm registrado grande incidência desse crime e quais as ações para combatê-lo.

Continue lendo o post para conhecer os dados e estatísticas das 12 cidades com maiores índices de roubo de veículos. Confira!

1. São Paulo

A cidade de São Paulo tem a maior frota do país, com cerca de 8 milhões de veículos, segundo dados do Detran-SP. Só que ela também é líder em relação ao número de roubos e furtos de carros, com 82.830 casos registrados em 2016, de acordo com o anuário. Entretanto, conforme uma análise publicada pelo Estadão, crimes contra o patrimônio veicular têm diminuído nas regiões centrais da cidade e aumentando nas cidades vizinhas, como Diadema e Santo André.

2. Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro é outra cidade com alto índice de roubos e furtos de veículos. Uma reportagem recente publicada no O Globo indica que, na capital, foram 2.364 crimes desse tipo apenas em fevereiro de 2018.

Uma estatística alarmante também foi apresentada na publicação. Em todo o estado, em média, ocorrem sete casos a cada hora. Levando o primeiro lugar de proporção de frota por roubo. A quantidade total de automóveis da cidade também é expressiva, com quase 3 milhões de veículos, conforme informações do Denatran.

3. Brasília

Conforme o levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Brasília registrou cerca de 12 mil veículos roubados ou furtados em 2016. Por outro lado, um dado mais preocupante vem à tona quando é avaliado o Distrito Federal. Segundo publicação do G1, com dados da Secretaria de Segurança Pública, a maioria dos casos são praticados por menores de idade. Isso representa 56% dos furtos e 69% dos casos de roubo — esse último, caracterizado pelo uso da violência.

4. Porto Alegre

Com uma frota constituída por aproximadamente 870 mil veículos, Porto Alegre também sofre com um número elevado de crimes contra o patrimônio veicular. O anuário aponta que 1.367 automóveis são roubados ou furtados a cada 100 mil unidades.

Levantamento realizado pela Brigada Militar mostra um crescimento de 2,9% nos roubos de veículos na capital gaúcha nos 8 primeiros meses de 2018, comparados a igual período do ano passado: são 5.783 casos neste ano, contra 5.620 em 2017.

De um ano para outro, de acordo com dados do Detran-RS, a frota de veículos na capital cresceu de 834.334 para 836.271. Ou seja: 0,23%. Como consequência, a criminalidade acaba pesando no bolso dos moradores, deixando os seguros mais caros. Na cidade, o preço chega a variar em até R$ 800, de acordo com reportagem do G1.

5. Goiânia

Goiânia, capital do estado de Goiás, localizada a 209 quilômetros de Brasília. Ela tem mais de 1,1 milhão de veículos, segundo registros do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO).

O número frequente nas estatísticas da própria instituição abrange caminhões, motocicletas, veículos agrícolas e ônibus. Porém, é composto, em sua imensa maioria, pelos chamados automóveis de passeio. Assim, também apresenta muitos casos de roubos e furtos de automóveis, sendo que, em 2016, foram 11 mil ocorrências.

6. Porto Velho

Porto Velho, a capital de Rondônia, registrou uma taxa de 1.279,8 casos de roubo e furto a cada 100 mil automóveis em 2016. Um dado expressivo sobre a cidade é em relação ao número de motocicletas, que representa cerca de 32,1% da frota, conforme informações do Detran-RO. Importante ressaltar que, Porto Velho é a segunda capital com maior incidência de roubos de veículos em proporção com sua frota. Dessa forma, fica atrás apenas do Rio de Janeiro.

7. Belo Horizonte

Em seguida, Belo Horizonte também sofre com a grande quantidade de roubos e furtos de veículos. Em 2016, foram 12.640 casos, com uma taxa de 708,5 ocorrências a cada 100 mil automóveis. A frota da cidade mineira é outro ponto expressivo, somando quase 2 milhões de carros e ficando atrás somente de São Paulo e Rio de Janeiro.

8. Salvador

Cerca de mais de 7 mil veículos, incluindo carros, caminhões e motos foram furtados ou roubados apenas na capital baiana no ano de 2017. A estatística divulgada em dezembro de 2017 pela Secretaria da Segurança Pública, reflete a redução quando o comparativo é realizado em relação ao ano de 2016. Os dados apontam que, de janeiro a dezembro de 2017, 5.652 veículos foram roubados nas ruas da capital baiana.

Em junho de 2017, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou uma lista com os dez carros mais roubados em Salvador no primeiro semestre de 2017. As cinco primeiras posições ficaram com os carros 1.0. Confira a relação!

  • VW Volkswagen Gol 1.0 – 98 unidades;
  • Fiat Palio 1.0 – 90 unidades;
  • Fiat Uno 1.0 – 88 unidades;
  • GM Chevrolet Celta 1.0 – 75 unidades;
  • GM Chevrolet Corsa 1.0 – 68 unidades;
  • Toyota Hilux – 58 unidades;
  • Toyota Corolla – 47 unidades;
  • Hyundai HB20 – 45 unidades;
  • VW Volkswagen Voyage – 43 unidades;
  • Fiat Punto – 40 unidades.

Importante ressaltar que, a capital baiana tem cerca de 959.448 veículos. Tendo uma das maiores frotas do país.

9. Manaus

Mais de 7,5 mil carros foram roubados em Manaus no período de janeiro a dezembro de 2017, segundo dados fornecidos pela secretaria de segurança (SSP-AM). Assim, Manaus teve uma média de 15 veículos furtados e roubados por criminosos por dia, somente de janeiro a junho de 2018. Ao todo, 2.777 carros, motos e outros veículos automotores foram alvos de furtos e roubos na capital, no primeiro semestre.

Foram recuperados, no mesmo período, menos da metade dos veículos levados pelos ladrões. Segundo o Detran-AM, a capital amazonense contava com um total de 712.983 até outubro de 2018, colocando a cidade no ranking das maiores frotas de veículos do Brasil.

10. Natal

Apesar da diminuição geral nos índices, a quantidade de roubos diários de veículos continua elevada. Em média, um automóvel é roubado por hora no estado. Diariamente, São registrados 23,2 casos. A maior parte das ocorrências está concentrada na Região Metropolitana de Natal. Em 2017, a estatística oficial é de que 8.326 veículos, entre carros e motos, foram roubados na cidade de Natal.

O assalto a veículos é uma coisa que preocupa os motoristas e existe um motivo, principalmente, para os que possuem os carros mais roubados no Rio Grande do Norte. Um censo, realizado pela Delegacia Especial de Veículos e Carga, mostrou 146 roubos de veículos na primeira quinzena de 2018.

Caso parássemos para analisar, existem vários modelos que são os mais procurados pelos meliantes e estão entre os mais roubados na cidade. Então, no momento da compra de um carro é fundamental ficar atento a isso.

Saiba quais são os modelos, segundo dados da Susep:

  • Toyota Corolla, 58 sinistros registrados;
  • Hyundai HB20, com 37 ocorrências de roubos;
  • Toyota Hilux, 32 ocorrências de roubo;
  • Fiat Palio 1.0, 28 ocorrências de roubo;
  • Fiat Strada, 25 ocorrências de roubo;
  • Chevrolet Corsa 1.0, 21 sinistros registrados;
  • Fiat Grand Siena, 17 sinistros registrados;
  • Fiat Uno 1.0, com 13 ocorrências;
  • Chevrolet ONIX, também com os mesmos 13 roubos;
  • VW Volkswagen Gol 1.0, os mesmos números que os dois anteriores, porém, com uma menor recuperação.

Já a frota de veículos da capital Potiguar tinha até o mês de outubro de 2018, segundo o Detran-RN, 406.171 veículos. Ficando assim, bem longe das primeiras posições, mas com a mesma relevância na segurança.

11. Fortaleza

De acordo com dados da Gerência de Estatística e Geoprocessamento da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), o número de roubo de veículos reduziu 15,7% neste ano de 2018, até o mês de setembro. Foram 7.074 contra 8.390 veículos no ano de 2017. Já  o furto de veículos diminuiu 15,8%, passando de 3.637 para 3.063. Já a representatividade de veículos localizados, em relação ao total de roubo/furto de veículos no Ceará, foi de 80,9%.

Isso quer dizer que dos 10.137 carros furtados ou roubados no período de janeiro a setembro de 2018, 8.198 foram recuperados pelas forças de segurança. Mesmo assim, os delitos não deixaram de existir e nem todos os veículos foram recuperados. Essa capital tem uma enorme frota veicular. No ranking das estatísticas do Denatran, em 2018, Fortaleza ficou em 7º lugar, tendo o total de 1.092.773 veículos.

12. Teresina

Em 2017, até o mês de novembro, a capital do estado do Piauí teve um registro de 2.270 roubos de veículos, incluindo carros e motos. Apesar dos números, o percentual de recuperação de automóveis tem sido de 45%. Nos 11 meses do ano passado, 1.641 motocicletas foram recuperadas e 576 carros. Assim, a cidade ficou apenas na 13ª posição, com um total aproximado, até outubro de 2018, de 488.904 veículos.

Investimento em sistemas de rastreamento veicular

A partir do momento no qual o chip de rastreamento é instalado, o proprietário do veículo tem mais tranquilidade. Afinal, há monitoramento constante, a fim de confirmar que está sempre seguro, seja no serviço ou no passeio. Com o chip, é possível acessar os dados do motorista, organizar as rotas, descobrir a velocidade e distância média percorrida, bem como ficar sabendo se o veículo está seguindo as diretrizes de segurança e as leis de trânsito brasileiras nas estradas.

O monitoramento e o rastreamento fazem com que se tenha mais compreensão no momento de estruturar o seu passeio ou gestão, conseguindo rotas de fácil acesso e mais rápidas. Também, pode-se conhecer qual a competência de cada colaborador e, até mesmo, bloquear um veículo caso ocorra algo de estranho (fuga de rota, parado por muito tempo etc).

Medidas para evitar o roubo e furto de veículos

Todas as cidades acima têm trabalhado para evitar a incidência de roubos e furtos de automóveis. O governo de Rondônia, por exemplo, passou a identificar os veículos roubados em tempo real, processo que antes demorava muitos dias. Já em São Paulo e Rio de Janeiro, as secretarias de Segurança Pública desenvolvem programas e ações contínuas para diminuir a criminalidade e, consequentemente, os casos de roubo.

De forma geral, após a Lei do Desmanche entrar em vigor, houve um maior controle e fiscalização dos locais que realizam o desmonte de veículos, o que colabora para o combate a esse tipo de crime. Além disso, cada vez mais pessoas procuram formas mais tecnológicas de se protegerem, utilizando um rastreador para carros, por exemplo.

Com o dispositivo para rastrear veículos, é possível acompanhar, em tempo real, a localização do automóvel, aumentando as chances de recuperação em caso de roubo ou furto. Ainda, vale ressaltar que um bom software de rastreamento veicular é capaz de proporcionar inúmeros benefícios, disponibilizando um sistema de alerta eficiente, fornecendo mapas atualizados, realizando cerca eletrônica e oferecendo serviço de telemetria avançada.

Diante de todo esse cenário e do aumento da demanda por esse tipo de solução, abrir uma central de rastreamento é uma ótima opção de negócio. Uma vantagem a considerar é que o público é bem amplo, composto por pessoas físicas, grupos de clientes ou organizações. Outro ponto positivo é que, mesmo que você não more em uma das cidades com maior número de roubo de veículos, a tecnologia pode ser aplicada para o rastreamento de objetos e, até mesmo, de pessoas.

Em resumo, quem já passou pela situação de ter uma arma apontada para si e viu o bem conquistado com esforço ser levado por criminosos, sabe que as políticas públicas não são suficientes para resolver o problema da criminalidade e roubo de veículos. Apesar de grande parte das pessoas buscar formas de se proteger somente após o ocorrido, você não precisa esperar que algo ruim aconteça para tomar uma atitude. É preciso agir imediatamente!

Gostou do post? Aproveite agora mesmo para curtir a nossa página no Facebook e assim receber notícias e conteúdos atualizados!

 

 

Guia completo: tudo o que você precisa saber sobre o mercado de monitoramento veicularPowered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"