O guia completo para abrir seu próprio negócio

Em momentos de crise, o empreendedorismo é a saída para muitos brasileiros interessados em obter uma renda extra ou, até mesmo, mudar completamente o rumo de suas carreiras profissionais. A jornada para abrir seu próprio negócio não é fácil e, mesmo depois que o sonho se transforma em realidade, é necessário ter uma boa dose de persistência para que ele sobreviva.

Neste artigo, vamos abordar tópicos referentes ao processo de criação de um empreendimento. Além de compreender as vantagens de investir no desenvolvimento de uma empresa, você verá como se planejar para abrir um negócio, os melhores meios de estruturar seu projeto e os fatores para identificar as melhores oportunidades. Confira!

Por que empreender?

O motivo principal para que muitas pessoas queiram empreender é a possibilidade de ganhar muito mais e ter autonomia para tomar decisões. Como dono de um negócio, podemos colocar em prática uma série de conhecimentos acumulados ao longo do tempo, mas que nem sempre podem ser aplicados quando trabalhamos em uma empresa que já tem seus próprios padrões operacionais.

Evidentemente, um dos aspectos mais empolgantes da atividade empreendedora é escolher a área de atuação que se encaixa melhor ao seu perfil e ter a chance de construir um patrimônio em cima disso. O empreendedor também é livre para exercitar a criatividade, pois a inovação é um dos pilares fundamentais do negócio. 

Quais as vantagens em ter seu próprio negócio?

Embora seja um grande desafio, a abertura de uma empresa própria traz vários benefícios. A seguir, vamos destacar alguns deles. 

Ser dono do seu tempo

O empreendedor tem mais flexibilidade para determinar seus horários de trabalho, algo que certamente tem um grande valor. Porém, é necessário ter consciência de que, como dono de uma empresa, você provavelmente terá uma rotina mais corrida que a de um funcionário com carteira assinada.

Além de liderar o andamento do trabalho, o empreendedor deve lidar com uma série de procedimentos burocráticos. Às vezes você não tem muitas horas sobrando, mas uma boa gestão do tempo ajudará a ter mais espaços na agenda para dar conta de todas as tarefas. No final, você verá que o retorno vale a pena.  

Poder escolher sua equipe de trabalho

Geralmente, um empregado faz parte de um quadro de funcionários e não há muitas alternativas. É necessário aprender a conviver com os colegas, mesmo que as diferenças de personalidade resultem em alguns atritos. Muitas vezes, fica evidente que os resultados de uma equipe seriam muito melhores se houvesse um entrosamento maior entre seus membros.

Uma das vantagens do empreendedor é justamente a chance de montar a equipe ideal. É claro que isso exige um certo conhecimento, pois é necessário identificar as competências de cada integrante do time e aprender como articular suas habilidades para potencializar o trabalho coletivo. Empatia e transparência são fundamentais para que isso aconteça.  

Aprender mais a cada dia

O empreendedor está sempre adquirindo novos conhecimentos, pois esse é um dos pontos mais relevantes para fazer uma boa gestão. Aprender novas técnicas de trabalho, conhecer as tendências do mercado e desenvolver todas as habilidades exigidas de um líder fará com que sua visão de mundo seja ampliada.

A troca de informações com outros empresários e as eventuais viagens de negócios também trarão uma bagagem importantíssima. Empreender é ter a oportunidade de conviver com pessoas diferentes, em lugares diversos, algo que contribui para seu desenvolvimento pessoal e profissional. 

Deixar sua contribuição para a sociedade

Você já parou para pensar no legado que os empreendedores de sucesso deixaram para a sociedade? Pessoas como Bill Gates e Steve Jobs foram responsáveis pela disseminação de produtos e serviços que ajudaram milhões de pessoas no mundo todo. Nada impede que você faça o mesmo para seu bairro ou sua cidade.

O trabalho de um empreendedor é fundamental para gerar empregos, movimentar a economia e criar novas oportunidades de crescimento para a região em que vive. Ou seja, além de obter satisfação pessoal, você ainda ajuda a construir um futuro melhor para sua comunidade.

Como descobrir em qual segmento investir?

Para encontrar o setor mais adequado para começar a empreender, é necessário considerar um conjunto de fatores que compõem o seu perfil. Primeiramente, faça um esforço para compreender quais são seus pontos fortes, aqueles que se transformam em um diferencial e o fazem ter desempenhos melhores em certas tarefas.

Em seguida, pense em habilidades que já foram desenvolvidas. Se você conseguir aproveitá-las no seu novo negócio, a curva de aprendizado será menor e o retorno tende a ser mais rápido. Inclusive, as maiores inovações só surgem a partir da reutilização de conhecimentos, técnicas e recursos que já existiam antes. O que o empreendedor faz, geralmente, é reuni-los e adaptá-los a um novo contexto.

Evidentemente, a demanda do mercado não pode ser ignorada, afinal, uma ideia só tem chances de evoluir quando há pessoas interessadas nela. Pense nas necessidades que não são devidamente atendidas. Se você conseguir desenvolver uma solução financeiramente acessível e capaz de resolver determinado problema, os clientes certamente aparecerão. 

Investir em uma franquia ou começar do zero?

Há muitas formas de empreender. Todas elas têm algum tipo de risco envolvido e caberá a você determinar se vale mais a pena investir em franquia ou negócio próprio. As franquias ganharam relevância no mercado nacional porque é uma oportunidade para empreendedores que preferem contar com uma marca consolidada desde o início e um modelo de negócio já definido para seguir.

Por outro lado, começar um negócio do zero é interessante porque dá toda a autonomia que o gestor precisa. Nesse caso, é o próprio empreendedor quem desenvolve o modelo de negócio, ou seja, o conjunto de ações que resultará em um produto ou serviço que tenha valor para o cliente.

Afinal, quais os passos para abrir meu próprio negócio?

Depois de determinar a área em que pretende atuar e se prefere começar uma empresa do zero ou como franqueado, é hora de se planejar para transformar sua ideia em realidade. Listamos alguns passos que você deve seguir para abrir seu próprio negócio com mais segurança.

Avalie a viabilidade da sua ideia

A primeira etapa do planejamento é observar cuidadosamente o mercado no qual você pretende entrar para verificar a aceitação da sua ideia. Pesquise quem são os concorrentes que já atuam no setor e suas características. Os pontos fortes e fracos de cada um darão pistas sobre o que pode ser feito de diferente para atrair a clientela.

Acompanhe notícias do setor para saber quais são as melhores oportunidades. Aproveite esse momento para verificar os diferenciais das outras empresas empresas e procure caminhos capazes de oferecer, ao público, vantagens mais competitivas. Isso envolve desde uma pesquisa de preço até a estruturação da marca.

Defina um público-alvo

A pesquisa sobre o mercado também trará uma visão de quem é o seu público-alvo — as pessoas que podem ter interesse pelo seu produto ou serviço. Essa noção é fundamental, pois será a base de toda a sua estratégia de marketing e vendas, desde o desenvolvimento da marca, passando pela identidade visual e interferindo, até mesmo, na precificação dos serviços.

Formalize sua empresa

Embora a parte burocrática seja um tanto trabalhosa, ter uma empresa formalizada é importante porque abre mais portas no mercado. Os modelos fiscais e tributários são desafiadores, então, é praticamente indispensável ter um bom contador. É ele quem dará as orientações sobre a documentação exigida na hora de abrir a empresa oficialmente.

Além de ajudar você a reunir tudo para a elaboração do contrato social e a emissão do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), o contador indicará o sistema tributário mais adequado para o seu tipo de empresa, o que pode reduzir significativamente os custos. 

O contrato social é o documento que define a constituição legal da empresa e as regras em torno de sua gestão. Ele deve seguir algumas normas do Direito Civil, estabelecendo limites e formas de responsabilização dos sócios.

O CNPJ é o registro do empreendimento junto à Receita Federal e você precisará dele para conseguir o alvará da prefeitura e a inscrição na Secretaria de Fazenda. Outro procedimento burocrático importante é o registro da sua marca no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), para garantir que você possa explorá-la comercialmente. 

Crie um plano de marketing

O plano de marketing é o documento em que a empresa descreve detalhadamente suas estratégias para a divulgação da marca e de seus produtos ou serviços. Além de definir as metas, ele deve apresentar os indicadores utilizados para medir o desempenho das estratégias escolhidas. Essas informações são usadas para ajustar as ações de marketing ao longo do tempo.

O direcionamento das campanhas  depende do perfil do seu público-alvo, portanto, não existe uma fórmula fixa. Porém, com a popularização da internet, as estratégias digitais ganharam muita força e é imprescindível que uma empresa esteja presente na internet e saiba utilizar essa ferramenta para se comunicar e fidelizar o cliente.

Guia completo: tudo o que você precisa saber sobre o mercado de monitoramento veicularPowered by Rock Convert

Aliás, o marketing não pode ser pensado apenas até o momento em que o cliente entra em contato com sua empresa e a venda é efetuada. O pós-venda é cada vez mais importante e, quando bem executado, fortalece a relação entre a marca e os consumidores. Quanto mais clientes satisfeitos, maior a probabilidade de atrair mais gente para o seu negócio. 

Aprenda a gerenciar os recursos financeiros

A primeira coisa a fazer nesse tópico é definir o capital social da empresa — o valor inicial a ser investido para começar as atividades. Para isso, leve em conta todos os custos operacionais e administrativos necessários para colocar o negócio em funcionamento. Lembre-se de considerar os custos fixos e variáveis. Quanto mais preciso for o cálculo, menor o risco de problemas orçamentários.

Em seguida, estime o valor do capital de giro, aquele que garantirá a sobrevivência da empresa até que ela comece a ter receitas. Esse cálculo depende de um controle preciso do fluxo de caixa, que é o registro de todas as receitas e despesas da empresa, por menores que sejam. É esse controle que permite fazer ajustes capazes de eliminar eventuais problemas financeiros.

Analise várias opções de financiamento

Se você é um empreendedor iniciante, é melhor pensar em opções que exijam um investimento inicial baixo. Hoje, há inúmeras possibilidades até para trabalhar em casa e que dispensam grandes estruturas, eliminando a necessidade de alugar uma sala comercial, por exemplo.

Porém, caso você chegue à conclusão de que ainda não tem o valor suficiente para a abertura do negócio, avalie a possibilidade de fazer algum tipo de financiamento ou empréstimo. Diversas instituições oferecem planos com condições específicas para empreendedores e, para ter acesso a eles, é necessário ter um modelo de negócio estruturado.

Além dos bancos comerciais, as cooperativas e as fintechs têm diferentes linhas de crédito para atender a demanda dos empreendedores. Você ainda pode procurar pelas linhas de microcrédito do BNDES ou pelos investidores-anjo, empresários que aplicam dinheiro em empresas iniciantes quando percebem seu potencial de crescimento. 

Faça parcerias

As parcerias podem facilitar sua vida, tanto na questão financeira, quanto na gestão do negócio. Juntar-se a um sócio facilita a arrecadação de recursos para abertura da empresa e ainda evita que você fique sobrecarregado com as responsabilidades do dia a dia. Entretanto, procure ter certeza que suas expectativas estão de acordo com as do sócio para evitar problemas de relacionamento.

Outra alternativa é contar com o apoio de organizações que já atuam no setor em que você pretende entrar. No caso do segmento de rastreamento veicular, por exemplo, a Getrak fornece um suporte amplo a quem quer abrir a própria central de rastreamento. Há equipes preparadas para ajudar o empreendedor a aprender tudo que é preciso para gerenciar o negócio.

Como fazer um plano de negócios?

O plano de negócios é o principal documento criado durante o processo de planejamento de um novo empreendimento. Nele, constarão todos os passos para que a ideia finalmente se transforme em realidade. Sua elaboração envolve a previsão de vários cenários possíveis para a execução do projeto, do mais pessimista ao mais otimista.

Ao trazer um estudo detalhado sobre uma grande quantidade de variáveis que podem interferir nos resultados de uma nova empresa, o plano de negócios reduz a imprevisibilidade e o risco envolvido na atividade empreendedora. Se você pretende levantar recursos financeiros em bancos, cooperativas ou com investidores, ele será um elemento obrigatório.

Apesar de sua importância, a maior parte dos empreendedores costuma deixar essa etapa de lado. Esse é um erro grave e que costuma resultar no fechamento precoce de muitas empresas. Sem um plano de negócios bem fundamentado, o empreendedor terá dificuldade para identificar eventuais problemas e encontrar soluções capazes de resolvê-los.

O plano de negócios deve conter ao menos as seguintes etapas:

  • sumário executivo: o resumo de todos os demais tópicos do plano de negócios e informações sobre os empreendedores envolvidos;
  • análise de mercado: detalhamento dos produtos e serviços a serem oferecidos e estudo sobre quem serão seus clientes, fornecedores e concorrentes;
  • plano de marketing: descreve as estratégias de desenvolvimento da sua marca e divulgação da empresa;
  • plano operacional: mostra como o negócio funcionará na prática, abordando todos os processos operacionais e procedimentos administrativos;
  • plano financeiro: é a análise de viabilidade que determina o valor total a ser investido para a execução do projeto e as estimativas de faturamento.

O que ter em mente para empreender?

O caráter desafiador da atividade empreendedora exige o desenvolvimento de determinadas características essenciais para enfrentar os momentos difíceis. Saiba o que ter em mente ao empreender!

Iniciativa

É possível que muitas pessoas apresentem uma perspectiva pessimista sobre sua intenção de empreender. É importante saber filtrar as críticas que tem fundamento para não se desmotivar. Para aproveitar uma oportunidade e não se deixar levar pelos maus conselhos, é necessário ter iniciativa.

Autoconfiança

Se você se dedicou a estudar o mercado e considerou várias alternativas antes de tomar uma decisão, confie em sua opinião. Essa atitude é importante até para transmitir confiança aos demais membros da sua equipe. Contar com a ajuda de um mentor, alguém experiente e que já passou pelas mesmas dificuldades que você, pode ajudar a lidar melhor com os dilemas da atividade empreendedora.

Resiliência

Desistir com facilidade é algo que não faz parte da natureza de um empreendedor. Haverão dias ruins e obstáculos a serem superados, mas é necessário ser resiliente. Aprender com os próprios erros e ter o compromisso de evoluir a cada nova experiência é essencial para obter sucesso na gestão de um negócio próprio.

Quais as tendências do mercado?

Para identificar as tendências do mercado, você precisar ter atenção aos sinais que surgem de todos os lados. Observe o comportamento dos consumidores e dos concorrentes, acompanhe as notícias sobre o mercado, converse com outros empreendedores e procure a opinião de especialistas de várias áreas. Veja algumas das principais tendências.

Transformação digital

Os negócios relacionados à comunicação e tecnologia estão entre os mais promissores, pois a maior parte das empresas busca por soluções que garantam mais agilidade e produtividade. No contexto da transformação digital, cresce o interesse em ferramentas baseadas no conceito de IoT (Internet of Things ou, em português, Internet das Coisas).

Negócios focados em sustentabilidade

Junto com a busca por tecnologias mais eficientes, cresce a demanda por soluções sustentáveis. Os consumidores querem, cada vez mais, alternativas que garantam mais qualidade de vida, especialmente nas grandes cidades. Produtos que tenham um impacto positivo nos hábitos das pessoas tendem a fazer muito sucesso.

Negócios com receita recorrente

Esse tipo de negócio se difundiu rapidamente nos últimos anos, em vários segmentos. Uma de suas características mais importantes é a escalabilidade — possibilidade de ampliar a base de clientes sem ter que ampliar a infraestrutura na mesma proporção. 

Empreendimentos de receita recorrente utilizam um modelo de assinaturas, em que o cliente paga mensalmente pela disponibilidade do serviço. O conceito é aplicado com sucesso em diversos setores, mas os dois exemplos clássicos de seu funcionamento são os serviços de streaming, como Netflix e Spotify.

Por que uma central de rastreamento é boa opção?

Investir na abertura de uma empresa de rastreamento veicular é interessante porque se enquadra perfeitamente nas tendências de mercado apresentadas acima. O modelo de negócio das centrais de rastreamento é altamente escalável, pois você só precisa de um endereço fixo e um computador com acesso à internet para começar.

Trata-se de um empreendimento com receita recorrente, pois o cliente está disposto a pagar para ter um serviço de monitoramento que funcione permanentemente.O setor de rastreamento e monitoramento de frotas demonstra um grande potencial de crescimento para os próximos anos, visto que a maior parte dos caminhões, motos e carros no Brasil ainda não é monitorada.

Esse nicho de mercado é composto tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas. No caso do primeiro grupo, a demanda é por soluções baratas e que protejam o veículo contra furtos. Já para as empresas, a maior procura está entre donos de pequenas frotas que, além de ter mais segurança, desejam melhorar a gestão logística e facilitar a manutenção preventiva dos carros. 

A Getrak tem mais de 15 anos de atuação nesse mercado e é considerada referência internacional no desenvolvimento de soluções para centrais de rastreamento. Seu modelo de negócios foi criado para facilitar o surgimento de novas centrais e, para isso, ela disponibiliza todo a infraestrutura necessária para quem tem o sonho de empreender

Além de receber um software de rastreamento completo e que pode ser personalizado com a marca da empresa, os parceiros da Getrak têm mais facilidade para adquirir o hardware, que inclui os rastreadores e os chips M2M que viabilizam a comunicação entre o veículo e a central. O empreendedor ainda aprende todo o processo de instalação e cadastro dos equipamentos.

Depois de tudo que foi abordado ao longo deste texto, você certamente está muito mais preparado para empreender. Cada tópico traz elementos fundamentais sobre como abrir um negócio e, ao se aprofundar neles, suas chances de desenvolver algo lucrativo e com grande potencial de crescimento no longo prazo aumentam significativamente.

Que tal aproveitar para aprender ainda mais? Continue conosco e veja mais detalhes de como montar uma central de rastreamento veicular e abrir seu próprio negócio com o auxílio da Getrak.

Powered by Rock Convert

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"