Imagem - Getrak
Empreendedorismo
Checklist: 5 passos para abrir o seu próprio negócio
Publicado por Getrak
22 de março de 2019

O interesse dos brasileiros em abrir o seu próprio negócio cresce a cada ano. Seja para conseguir um rendimento extra, seja para mudar completamente os rumos da carreira, muita gente tem uma ideia na cabeça e gostaria de saber como colocá-la em prática. Para os empreendedores iniciantes, é claro que esse desejo acaba trazendo uma série de dúvidas.

Nossa proposta, neste artigo, é apresentar uma checklist com os principais passos que você deve seguir para abrir o seu próprio negócio. Vamos abordar questões fundamentais para medir corretamente os riscos envolvidos na atividade empreendedora e ter mais segurança ao investir tempo e recursos financeiros na construção de uma empresa de sucesso. Confira!

1. Estudar o mercado

Um novo negócio corre muito mais riscos quando não há uma análise adequada do mercado antes de sua abertura. Portanto, a primeira coisa que o empreendedor deve fazer é verificar as condições do ambiente em que deseja atuar.

Para começar, é importante dimensionar esse mercado, descobrindo quantas empresas já atuam nele e que perfil de cliente elas atendem. Além disso, determine o público-alvo que você pretende alcançar, compreendendo suas necessidades e verificando se os negócios já existentes conseguem atender à demanda. É nesse momento que você pode encontrar as melhores oportunidades de negócio.

Depois de identificar as outras empresas que atuam no ramo, que eventualmente serão seus concorrentes, é interessante analisar suas práticas. Procure conhecimento sobre o modelo de negócio que elas utilizam e liste seus pontos fortes e fracos.

Isso certamente renderá boas lições para aplicar à sua empresa e evitará que você repita os erros delas. Toda a informação acumulada nessa fase será essencial para a próxima etapa.

2. Elaborar um plano de negócios

O plano de negócios é o pilar fundamental do planejamento para a abertura de uma empresa. Seu objetivo é estimar se sua ideia de empreendimento é viável ou não. Dessa forma, você consegue fazer ajustes ou mudar de ideia, antes de investir seus recursos em algo que tem grandes chances de dar errado.

Imagem - Getrak
E-book
Guia para escolher o seu software para central de rastreamento

Os componentes de um plano de negócios bem construído incluem:

  • descrição do projeto a ser desenvolvido;
  • definição detalhada dos objetivos do negócio;
  • análise das oportunidades de mercado;
  • análise dos concorrentes e suas características;
  • estratégias para captar clientes, definição de preços, logística, venda e pós-venda;
  • aspectos técnicos relativos à estrutura necessária para colocar a empresa em funcionamento;
  • orçamento com detalhes sobre o valor necessário para iniciar o negócio;
  • projeções financeiras, como estimativas de fluxo de caixa, ponto de equilíbrio e taxa de retorno sobre o valor investido.

A formulação do plano de negócios exige paciência e é importante ter em mente que ele precisa ser revisto de tempos em tempos, conforme novos dados forem coletados. A reavaliação é importante para ajustar os objetivos do projeto e as ações necessárias para alcançá-los. 

3. Organizar as finanças

Como você viu no tópico anterior, desenvolver orçamentos e projeções financeiras é uma das tarefas do plano de negócios. É a partir dessas informações que o empreendedor determina a necessidade de recursos para dar início às operações, desde o gasto com máquinas e mercadorias, até o custo para manter as instalações da empresa. Esse valor é conhecido como capital inicial.

Além dele, é necessário ter alguma reserva para o capital de giro, responsável por bancar as despesas nos primeiros meses, até que a empresa comece a ter faturamento suficiente. Nessa conta devem entrar, por exemplo, os gastos trabalhistas, caso você tenha funcionários. Evidentemente, um negócio com baixo investimento inicial é mais interessante para quem está começando a empreender.

Um erro extremamente comum em novos negócios é a mistura entre finanças pessoais e empresariais. Esse é um dos principais desafios para empresas familiares, em que as pessoas acabam retirando dinheiro do caixa aleatoriamente para pagar contas da casa. A consequência é a impossibilidade de gerenciar as entradas e saídas com precisão, colocando a sustentabilidade do negócio em risco.

A solução é determinar um pró-labore, que corresponde ao salário do empreendedor. Lembre-se, também, de que parte dos lucros precisa ser reinvestida na expansão da empresa, garantindo que ela mantenha a competitividade no longo prazo.

4. Resolver questões burocráticas

As questões legais envolvidas na abertura de uma empresa devem ser acompanhadas cuidadosamente, desde o início, para evitar futuros entraves. Os modelos fiscais e tributários do Brasil são bastante desafiadores. Portanto, é importante ter o apoio de um contador para reunir tudo o que é necessário para formalizar o contrato social e emitir seu CNPJ, além de determinar o regime tributário mais adequado.

O Contrato Social é equivalente à certidão de nascimento do seu empreendimento e precisa ser apresentado na junta comercial ou no cartório de registro de pessoas jurídicas do seu município. Lá, o nome da sua empresa será oficializado e ela receberá um número de identificação que permitirá a obtenção do CNPJ junto à Receita Federal.

Em seguida, ainda será necessário solicitar o alvará de localização e funcionamento da prefeitura e a inscrição estadual, obrigatória para cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Prefeitura e Secretaria Estadual da Fazenda também devem autorizar a emissão de notas fiscais.

5. Manter a motivação e controlar a ansiedade

Como você pode perceber, todo o processo para planejar, organizar e colocar seu empreendimento para funcionar formalmente é trabalhoso. Ao contrário do que muitos acreditam, ser dono de uma empresa significa que você provavelmente trabalhará até mais do que como funcionário com carteira assinada. Porém, a recompensa costuma ser muito valiosa.

É necessário estar sempre motivado para sustentar um processo de aprendizado constante e buscar melhorias capazes de agregar valor ao que você vende e diferenciar seu negócio dos concorrentes. Segurar a ansiedade é igualmente importante, pois todo investimento demanda algum tempo até que o retorno venha. Exigir resultados antes da hora pode gerar frustração e desânimo.

Estar atento aos itens que abordamos aqui trará mais segurança e chances de evolução para seu empreendimento. Tendo consciência dos desafios e confiança para enfrentar os obstáculos sem desanimar, você estará mais preparado para desenvolver as principais características de um empreendedor e transformar seus sonhos em uma experiência realmente enriquecedora. 

Gostou deste artigo? Se você está procurando ideias interessantes para abrir o seu próprio negócio, saiba como montar sua própria central de rastreamento veicular. É sua oportunidade de atuar em um mercado promissor, a partir de uma estrutura simples e com grande potencial de crescimento.

Postagens relacionadas
Imagem - Getrak
Venda consultiva: como aplicar na empresa de rastreamento veicular

Se você não que diminuir o volume de vendas e afastar a clientela, entenda como aplicar a venda co...

Leia mais
Imagem - Getrak
Como a Getrak pode ajudar na sua inserção no mercado de segurança?

O mercado de segurança está em crescimento em nosso país. Existem muitas oportunidades que devem ...

Leia mais
Imagem - Getrak
Mudanças comportamentais pós-COVID-19: o que veio para ficar?

Como você já sabe, a pandemia de COVID-19 trouxe uma série de mudanças para todo o mundo. Muitas...

Leia mais
Newsletter #MonteSuaCentral

Fique por dentro do mercado de Rastreamento.
Receba os conteúdos do nosso blog exclusivamente.